linkedin stories

LinkedIn Stories: Como funciona? O que a sua marca pode postar?

linkedin stories

Não é de hoje que o LinkedIn vem testando novas formas de postar conteúdo, se inspirando em redes sociais mais populares. Desde 2018, a rede social faz testes com novas aplicações, selecionando determinados públicos para análise.

E então, em abril de 2020, a plataforma lançou oficialmente o recurso dos Stories, com exclusividade para os brasileiros! Segundo a própria companhia, o Brasil foi escolhido por sermos pessoas com alto potencial de criatividade, além de sermos o 3º maior produtor de conteúdo na plataforma. Interessante!

A dúvida que fica agora é: como usar esse recurso da melhor forma no seu perfil corporativo? Pode ser proveitoso? Vamos discutir como o LinkedIn Stories funciona um pouco mais a seguir!

Como funciona os Stories do LinkedIn?

Tudo começou lá no Snapchat, sendo copiado em sequência pelo Instagram, Facebook, Whatsapp, YouTube, Twitter e agora o LinkedIn. Agora, além de publicações comuns no feed, o usuário ou empresa tem mais uma opção de postagem de conteúdo para expandir suas conexões.

Funciona da mesma forma dos stories das outras redes sociais, sendo possível compartilhar fotos ou vídeos de até 20 segundos, incluindo textos e figurinhas. Também possuem duração de 24 horas de disponibilidade (após esse tempo, a publicação some) e podem ser enviados de forma pública ou privada. Cada interação pelos Stories gera uma notificação na rede social, sendo possível visualizar e responder tanto pelo app quanto pelo desktop.

O que o usuário pode postar no LinkedIn Stories?

Agora temos mais um recurso para compartilhar momentos de carreira profissional, desde a busca por uma vaga à conquista de um novo certificado, por exemplo. Fica mais fácil para as empresas e profissionais verem o seu lado profissional, incluindo postura e habilidade de fala.

No LinkedIn Stories podemos também publicar momentos importantes da nossa trajetória profissional, mostrar participação em eventos de relevância no seu mercado, início e conclusão de projetos, ou ainda mostrar como é o dia a dia no seu trabalho (agências adoram isso).

É também uma oportunidade profissional para quem busca autoridade em determinado assunto, para postar dicas diárias sobre determinado tema e formar um público seguidor a partir disso. Isso já é bastante feito nos stories do Instagram, e no LinkedIn seria mais uma oportunidade de divulgação.

Cada pessoa usa seus stories da forma que bem quiser, mas vale ressaltar o perfil das conexões que são feitas no LinkedIn. Portanto, o ideal é que seja seu lado profissional, não tão pessoal.

E o que esperar das marcas nos Stories do LinkedIn?

Espera-se que o nível de interação entre parceiros e colaboradores cresça muito, devido a essa aproximação que os stories pode gerar. Sendo assim, são recursos bons para fortalecer imagem e presença digital, reforçando o posicionamento da empresa.

Algumas marcas como Itaú e Nubank já vêm usando o recurso no LinkedIn, e a tendência é que muitas empresas comecem replicando seus conteúdos do Instagram para dentro do LinkedIn.

A tendência é que vejamos um lado das marcas mais descontraído, despojado e até íntimo, de certo modo. É um tipo de conexão que corresponde bem ao novo contexto que as marcas buscam no mundo digital, a fim de aproximar-se mais com as pessoas.

Marcas poderão mostrar aos seus parceiros seus lançamentos, próximos projetos, bastidores do que vem por aí, com mais instantaneidade, criando expectativa e marcando presença frente à concorrência.

Sendo assim, podemos interpretar a praticidade do LinkedIn Stories como um novo diferencial de Marketing Digital para as companhias, como também aos gestores presentes na rede social.

Ainda não há certeza se o recurso continuará ativo para perfis corporativos, vai depender dos testes realizados. Inicialmente, a ideia do recurso é ampliar conexões entre pessoas, mas se o Instagram aproximou empresas e usuários, certamente o LinkedIn está pensando o mesmo, porém com mais cautela devido ao perfil do público.



Share article on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *